Categoria
Compartilhe

Compartilhe por email

Preencha o nome e email para quem você deseja compartilhar

A marca é francesa, mas com um pé tupiniquim. 


Fundada em 2004, a marca VEJA, distribuída no Brasil desde 2013 com o nome VERT, nasceu com propósitos do novo milênio, trabalhando seu DNA ligado aos valores e pilares da sustentabilidade, sendo considerada uma das marcas mais preocupadas com a forma como seus produtos são fabricados e comercializados no mundo.

Inovação, comércio justo, desenvolvimento social, transparência e upcycling (reutilização de materiais) são temas fundamentais para marca que é produzida no Brasil há mais de 15 anos e distribuída para mais de 60 países, e que hoje são responsáveis diretos pelo desenvolvimento de comunidades produtivas em diferentes regiões do país, fomentando o desenvolvimento social, econômico e cultural destas regiões brasileiras.



Conversamos com Beto Bina, Leandro Elias Miguel e François Ghislain Morillion, para um papo aberto sobre branding, propósito e sustentabilidade - DNA da marca. Confira!


Inspiramais: Conte um pouco da história da marca, fundamentos, princípios deste projeto e a relação de vocês com o Brasil?

A VEJA surgiu em 2004 e nossa intenção sempre foi criar modelos de tênis que pudessem ser usados em todas as ocasiões e que agradassem ao maior número de pessoas. Sempre tivemos paixão por modelos clássicos e atemporais e você pode notar isso no design urbano e minimalista das nossas coleções.

No Brasil encontramos todo o necessário para começarmos, matérias primas, fábricas estruturadas e mão de obra responsável socialmente e com qualidade. No início tivemos que acreditar e provar que é possível desconstruir o conceito da indústria da moda. Muitas fábricas e fornecedores tentaram nos fazer desistir, mas criar algo original, com persistência e sobre os pilares da sustentabilidade devem ser a base de construção das novas marcas nos mais diversos setores.

O posicionamento também se torna natural quando você tem uma mensagem de valor além do produto. A conexão da empresa/marca com seu público simplesmente acontece.

Em 2013 iniciamos também a operação comercial no Brasil, com a marca VERT.  A relação entre as equipes França e Brasil é ótima. No geral a equipe é multicultural e gostamos bastante desta mistura. 



Inspiramais: Qual é o estilo de consumidor que a marca busca e por quê?
Conhecemos muitas pessoas ligadas ao design, arquitetura, artes diversas, culinária e consumo consciente e sustentabilidade. Mas não existe um esforço da marca na busca de um público específico. Preferimos ser mais democráticos e abrir a possibilidade para todos que se interessarem pelo projeto. No geral existe um público crescente e mais consciente em relação ao consumo que até está disposto a pagar mais por um produto com valores mais sofisticados. Infelizmente a grande maioria não tem essa consciência ou não pode realmente pagar mais por causa da estrutura de baixos salários da sociedade brasileira. 


Inspiramais: Hoje a palavra colaboração está muito forte, vocês já fazem isso a algum tempo, quais foram os parceiros de vocês nessa caminhada?  A iniciativa sempre partiu da marca?

As colaborações aconteceram por encontros com pessoas e marcas que gostamos. Já fizemos colaborações internacionais com (marcas como) Lemaire, G Kero, Bellerose e a mais recente com Rick Owens. No Brasil, colaborações com (marcas como) Alexandre Herchcovitch, Mixed, Uma, Lenny Niemeyer, Foxton, entre outras. 




Inspiramais: Sobre a parceria com Rick Owens, especialmente, como foi a criação e o desenvolvimento deste projeto?
Tudo começou quando percebemos uma compra grande feita pelo próprio Rick Owens em nosso site na França. Pouco tempo depois, a equipe dele entrou em contato nos propondo uma colaboração. No início pareceu um pouco estranho porque era um público de moda que não conhecíamos. Logo percebemos que seria uma mistura de mundos tão diferentes, mas que faria sentido. Inclusive porque o próprio Rick Owens está buscando um novo conceito para suas criações. Já caminhamos para a terceira edição com bastante sucesso. 


 

Inspiramais: O que a marca não abre mão na hora de estabelecer um projeto de co-criação?
Hoje analisamos uma série de fatores, como: posicionamento da marca ou estilista; postura em relação ao mercado de moda no que faz referência às escolhas de materiais, formas de fabricação, métodos conscientes de produção.

Relação da marca com sustentabilidade, público seguidor, força comercial, entre outras. 

Algo importante a citar é sobre o grau de intervenção feito nos nossos modelos. Não permitimos uma intervenção que modifique muito o visual nem a substituição de matérias-primas, das quais exigimos que sejam de fornecedores parceiros e que temos conhecimento de origem e boas práticas de fabricação. 


Inspiramais: Qual o impacto destes projetos para marca?

O maior impacto é a repercussão em comunicação e a forma que atingimos um novo público cada vez que desenvolvemos algo novo. 


 

Inspiramais: Qual foi o impacto de ter Meghan Markle usando um modelo Veja? foi espontâneo?

Uma maravilhosa surpresa, principalmente pelo o que ela representa. Com certeza foi um marco na história da marca e aconteceu de forma espontânea. Houve um ruído nesta informação quando a

matéria saiu, pois foi citado o nosso modelo Esplar, mas na verdade o modelo que ela escolheu foi o V10.

O Esplar é um modelo que tem o nome em homenagem a ONG que nos ajuda na compra do algodão agroecológico do Ceará. Por isso a confusão. O fato é que tudo o que tínhamos em estoque na cor branco com V preto, nós vendemos. E a procura por essa combinação de cor continuou por semanas, no mundo todo.


Inspiramais: O futuro caminha para redução de danos a natureza ou até mesmo desenvolvimentos 100% sustentáveis, como pensam em lidar com este desafio?

Para nós é algo natural. Quem acompanha o nosso trabalho desde o início sabe que a cada coleção trazemos um material novo, uma tecnologia inovadora, ou fazemos melhorias nos materiais e produtos da coleção. Os desafios somos nós mesmos que os colocamos. Sustentabilidade é um meio em constante transformação e superação. Não achamos certo dizer 100% sustentáveis, pois nada é 100%. Tentamos ser o melhor que podemos, dentro dos limites existentes. 




Inspiramais: O tema sobre economia circular já é uma realidade na marca?

Na verdade é um tema muito novo para nossa realidade. É muito complicado agirmos de modo a impactar todos os 60 países em que fazemos a distribuição. Atualmente temos um projeto em desenvolvimento na França, em que em breve poderemos fazer os primeiros testes com clientes que poderão retornar com seus tênis usados para reparos e trocas por outros produtos. Mas ainda é um piloto. 


 

Inspiramais: A marca já vem trabalhando com uma linha Vegana, o que podemos esperar deste segmento?

A linha vegana faz parte de uma vontade da empresa em diversificar o uso de materiais responsáveis, mas sem perder qualidade. Além disso, sabemos que é um público crescente no mundo todo. Hoje trabalhamos com CWL, um material feito de milho e algodão e que tem as características visuais do couro. Além da camurça sintética e da lona de algodão orgânico. O interessante é que apesar de termos 35% da coleção com produtos Veganos e um crescimento de público, proporcionalmente as vendas destes produtos são inferiores aos produtos de couro. 


Inspiramais: Com o mundo sendo afetado pelo Covid-19, você acredita que surgirão novos valores no consumidor e nos produtos de moda? 
Esse momento é muito novo. Ninguém passou por algo parecido. Porém já existem alguns movimentos que estão chamando a atenção para a forma de consumo faz tempo. Acredito que esse movimento vai se fortalecer e para algumas pessoas essa ficha vai cair e vão entender que é preciso mais responsabilidade na hora de comprar.


Inspiramais: Falando sobre o futuro, você acredita que ele pode ser embasado em narrativas conscientes, empatia, propósito e valores seguros? o que você imagina para o futuro?

Com certeza! A marca foi criada com esses propósitos. Desde sempre tentamos ter essas narrativas dentro da empresa, antes de qualquer novo projeto. É por isso que avançamos. Acredito que esse seja o único futuro possível.

 

Inspiramais: Qual sua mensagem para superar estes tempos difíceis?
Somos otimistas de que sairemos melhores, mais fortes, mais inspirados na natureza e mais resilientes.




CONHEÇA MAIS SOBRE A VEJA/VERT: https://www.vert-shoes.com.br/


AFAGO. O Inspiramais encara como suas responsabilidades inspirar e provocar o melhor nas pessoas. Fazemos isso por meio de nossos canais trazendo o que estamos chamando de AFAGO, gerando assim um sentimento coletivo de esperança e renovação de energia para construir um novo pensamento nesse cenário incerto para todos. Acompanhem nossos canais, com entrevistas como esta com a revolucionária marca VEJA/VERT, nossas Lives nas redes sociais e as principais notícias e soluções para todo o mercado coureiro calçadista, varejo e a cadeia da moda! Contem conosco!


Créditos da entrevista: Marnei Carminatti


Categoria
Compartilhe

Compartilhe por email

Preencha o nome e email para quem você deseja compartilhar

JÁ SOU CLIENTE

Acesse sua conta mais rápido! Faça seu login com o Facebook.
*O e-mail cadastrado deve ser o mesmo da conta do Facebook.
E-mail
Senha

NÃO SOU CADASTRADO

Faça seu cadastra de forma rápida e fácil, basta logar com o Facebook.
E-mail
Primeiro nome

Esqueci minha senha

Preencha seu e-mail abaixo. Você irá receber uma nova senha por e-mail.
E-mail

OPS!