23/08/2017

Empresa têxtil portuguesa recicla resíduos agro-alimentares para criar novos tecidos

Autor/Fonte:
Stylo Urbano


A empresa têxtil portuguesa Riopele está desenvolvendo o projeto R4Textiles, que visa transformar os resíduos agrícolas em tecidos inovadores cujos odores são neutralizados. O projeto é cofinanciado pelo COMPETE 2020. O projeto R4Textiles tem como objetivo o desenvolvimento de tecidos reutilizados e funcionais com base na valorização dos resíduos têxteis e agro-alimentares de forma a pôr em prática o novo paradigma da “economia circular”.

É conhecido o potencial de valorização dos subprodutos resultantes do processamento têxtil em processos de tecelagem, para integração em novas estruturas têxteis, embora este não esteja ainda explorado. No que se refere aos resíduos agro-alimentares, existe trabalho desenvolvido na extração de ingredientes funcionais, com aplicações na alimentação, cosmética e biomédica.

Tais resíduos, ricos em proteínas e polissacarídeos, são provenientes das indústrias de carne e cervejeira, respetivamente, apresentando um enorme potencial de valorização no acabamento têxtil, pelas suas propriedades intrínsecas (atividade antimicrobiana, prebiótica, antioxidante, etc).

Num contexto de consciência ambiental, a Riopele pretende apostar numa estratégia de investigação que conduza à adoção de políticas sustentáveis, de redução do impacto ambiental baseado na valorização dos resíduos têxteis (iniciando com os gerados na sua fábrica), e de subprodutos de indústrias agroalimentares próximas geograficamente.

Quer no caso dos resíduos têxteis, quer no dos resíduos agro-alimentares, existem desafios na investigação, ao nível do processamento e da sua aplicabilidade na produção de novas estruturas têxteis.

É neste contexto que surge o projeto R4Textiles, cujos principais objetivos são:

  • Design e construção de novas peças/estruturas têxteis com base em resíduos têxteis – fios, telas e tecidos, com ou sem processamento prévio para eliminação de elastano;
  • Produção de tecidos funcionais inovadores com incorporação de ingredientes extraídos de resíduos agroalimentares, para obtenção da funcionalidade de neutralização de odores, e outras propriedades valorizáveis no acabamento têxtil (antimicrobiano, prebiótico, antioxidante, anti-estático, toque melhorado).

O projeto é cofinanciado pelo COMPETE 2020 no âmbito do Sistema de Incentivos à I&DT e neste projeto estão também envolvidos o Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes (CeNTI), o Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal (CITEVE) e a Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa (ESB).

Parceiros