13/11/2017

Como o Netshoes foi de uma sapataria em SP ao IPO em Nova York

Mais importante do que elaborar um bom plano é saber que os erros vão acontecer, e você tem que errar rapidamente e voltar para os trilhos”, diz fundador

Autor/Fonte:
Exame

CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DA NETSHOES: companhia conseguiu reduzir prejuízo
CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DA NETSHOES: companhia conseguiu reduzir prejuízo
Germano Lüders/Revista EXAME

São Paulo – Há 17 anos, uma loja de calçados foi aberta por dois primos no centro de São Paulo. Hoje, esta é a primeira empresa de comércio eletrônico do Brasil a abrir capital no exterior. No dia do IPO, a empresa captou mais de US$138 milhões. Para falar sobre esta história de sucesso e a migração da empresa do físico para o online, Marcio Kumruian, fundador da Netshoes, palestrou no CASE 2017.

“Mais importante do que elaborar um bom plano é saber que os erros vão acontecer, e você tem que errar rapidamente e voltar para os trilhos”, diz Marcio. Hoje, a companhia que há dez anos fechava as portas do mundo físico para ingressar no online já tem cinco centros de distribuição, 20 lojas parceiras, customiza produtos e tem navegação gratuita pelo app.

“Você tem que ter coragem e acreditar no seu feeling empreendedor”, diz Marcio, ao falar da qualidade vital que os empreendedores têm que ter: resiliência. Ao abrir a loja online, o primeiro pedido só veio depois de três meses de trabalho incansável no site. “No mês seguinte, recebemos dois pedidos. Isso já foi um crescimento de 100%”, comenta.

Outro ponto importante para o sucesso da companhia, segundo o CEO, é a qualidade do time que compõe uma empresa. Sem os colaboradores certos, nenhuma grande empresa tem futuro. “Tão importante quanto sonhar é trazer pessoas para trabalharem junto com você neste sonho.”

Dentro da Netshoes nasceu a Zattini, um e-commerce de roupas, calçados e acessórios. Marcio conta que, para a realização deste projeto, os times envolvidos com esta nova loja tinham total autonomia. “A Zattini nasceu como uma startup dentro da Netshoes. As equipes que estavam trabalhando na marca tomavam as decisões que precisavam ser tomadas, mesmo que na hora pudesse não parecer o ideal para nós. É importante confiar no seu time e dar a eles autonomia”, diz. Atualmente, a Zattini é um dos principais marketplaces de moda do País.

Uma empresa não sai de uma loja física em São Paulo e abre um IPO em Nova York do dia pra noite. Pra isso, é necessário muito trabalho, uma equipe competente, grandes ideias e investidores que estejam ligados aos valores e trajetória da empresa. O time de investidores da empresa conta com nomes como Tiger Global Management, Temasek Holdings, Iconiq Capital e Kaszek Ventures.

“Para o nosso primeiro investimento, queríamos investidores que nos dessem autonomia. Nós sabíamos o que estávamos fazendo, mas precisávamos do dinheiro. Por isso, tomamos cuidado para escolher um investidor que não interferisse no nosso modo de tocar o negócio”, explica. “O investidor estar conectado com os valores, premissas e ter jogo limpo é de extrema importância para o aporte.”

Para Marcio, o IPO do Netshoes, que aconteceu em abril deste ano, não era uma obsessão ou meta, mas uma parte da jornada da empresa. “Nós vamos continuar fazendo o que temos que fazer, continuar crescendo e fugir da nossa zona de conforto”, diz. Para ele, o foco da empresa diariamente é melhorar a experiência do consumidor.

“A Netshoes está sempre em movimento e não está conformada com o que foi atingido. Isso faz parte da nossa cultura”. Para os empreendedores, mesmo em meio a um cenário político e econômico ainda incerto, Marcio disse que “a gente não pode perder a fé, porque o Brasil depende da gente”, completa.

Ele ainda contou que a Netshoes está olhando para startups de Machine Learning e Inteligência Artificial. Para entrar em contato com a empresa e apresentar sua startup, mande um e-mail para pr@netshoes.com.br.

Parceiros